16 junho 2016

VERDADE APAIXONANTE - Fanyx Évora


              Afrodite, em certo dia, perdeu todos os seus poderes, pois deixou de acreditar em si mesma. Ela foi tomada por uma melancolia e um medo da solidão imensurável. Passou dias a finco pensando que todos eram e mereciam a felicidade, menos ela. Sua existência não possuía mais sentido e ela afundou-se no vazio. Após tempos de tristeza e escuridão, Afrodite encontrou uma feiticeira que disse ser capaz de ajudá-la. Ela prometeu à Afrodite que recuperaria seus poderes e a tornaria mais forte que nunca. Desesperada por uma solução, Afrodite questionou o que deveria ser feito para tal milagre e a feiticeira respondeu apenas que “a sinceridade sempre é o suficiente para mudar o mundo”. Sacou um espelho ovalado de sua bolsa misteriosa e apontou para a deusa. No mesmo instante, o céu tingiu de um azul claro e as nuvens escuras dissiparam todo aquele vazio.
        Afrodite foi capaz de apaixonar-se por si novamente e suas dúvidas foram sanadas. Agora ela conhecia suas qualidades e defeitos, todas mostradas por um pedaço de vidro reluzente, que apenas dizia a verdade.
Nada que o dia mais azul e o céu mais brilhante possam clarear que as atitudes de homem não estragam.
Eis uma história:
Depois de muito sofrer, todos estão cansados e famintos de felicidade e paz. Um dia, foi prometido a certeza de dias melhores depois dos anos de guerra. Mas o homem havia dito que para isso a confiança em um futuro melhor era necessário. Então todos os sobreviventes largaram seus escudos de guerra e abraçaram o homem que lhes prometeu a felicidade.
O homem, depois de ver que conquistou a confiança de todos, matou um por um com uma faca apunhalada nas costas. O sangue de todos saíram vermelho-vivo e tão líquido quanto a água.
No mesmo instante da morte coletiva, os guerreiros levantaram sem sangue nenhum no corpo e passaram a vagar pela terra em busca da tão sonhada paz. O sangue no chão, transformou-se em uma imensa poça de água negra tão espessa e densa que tragou o homem traidor afogando-o com o passar do tempo.
Moral: os homens traídos não tiveram a felicidade e o traidor não teve a vitória.
Um singelo sorriso, um terno abraço
Você me percebe quando passo?
Queria poder esperar-te as noite
Dividir filosofias e amores
Saberes, deveres, prazeres
Mas isso apenas desconheço
Pois não tenho o apreço
Pela qual necessitas até
Para chamar-me a um café
E os dias vão passando rapidamente
A secura distanciando nossas mentes
E quando estivermos entupidos
Do mais puro súbito
O conhecimento nos agraçará
E simplesmente nos dirá:
"Não tiveram tempo de amar
A graça da sabedoria jamais alcançarão
Viver entre livros fardados estão
e sozinhos morrerão".
O mundo roda
O quarto sufoca
Nem tudo é rosa
Sonhos mil
Presença esperada
Lágrima derramada
Alma solitária
Vida hostil
Descanso eterno
Mundo incerto
Abraço materno
Morte gentil